RSS

Oblívio

Ó, coração... por que vens ao som da marcha fúnebre?

Morreu? Sim, mas quem morreu? Ah, imagino que seja vosso amigo, o amor. Mas o que se passou com teu inquilino, grande abrigador de sentimentos? Ah, já sei! Amor, coitado, morreu de solidão. Creio.
Sim, excelentíssimo baú emotivo. O amor tem dessas peripécias... causa-te estragos. Depois de abrigado, destrói-vos. Faz ruir tua verdade e calor! Parece político, o tal. Devo-lhe algumas palavras.
Por que morreis, inútil? Foi feito para que vivesses junto aos vossos irmãos, paixão e carinho. Mas sempre tens de morrer antes do clímax, não é? Não percebes o estrago que faz! Antes ficasse morto, mas não... Sempre arrumas um jeito de aparecer, como o hálito de uma maldição. Mas deixe estar... deixe. Quem sabe um dia vais renascer vivo e forte, e trarás coisas boas a teus semelhantes, os sentimentos.
E pagarás os danos com juros, disse o coração. Filho maldito, tens a herança de teus pais, Amizade e Respeito. Da próxima vez, escuta-lhe os conselhos, pois se voltares a andar por aí - e vais andar - a causar danos demais em cada quarto novo que habitar, logo não vos aceitarão, e será substituído pela Ambição.
Claro, não te esqueças: Tens de cuidar de teu hospedeiro. Amor, vosso sangue, irmão, cuides melhor dos quartos que habita.
Antes que todas as portas se fechem em vossa fuça.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

17 comentários:

Alex Azevedo Dias disse...

"Mas sempre tens de morrer antes do clímax, não é? Não percebes o estrago que faz! Antes ficasse morto, mas não... Sempre arrumas um jeito de aparecer, como o hálito de uma maldição. Mas deixe estar..." Adorei esse trecho. Afinal, o amor é isso, esse jogo de vivo-morto, morto-vivo. Ele é o fim de todo começo, morre para fazer com que nós saibamos o que ele é. Quando o amor se vai, sentimos saudades, e ao termos saudade, descobrimos que o amor existe. O amor só aparece quando se vai.

Macaco Pipi disse...

isso desanima
sempre perde o folego

Wlisses Freitas® disse...

Muito bom a parte que mais gostei foi:"Morreu? Sim, mas quem morreu? Ah, imagino que seja vosso amigo, o amor." por diversas razões esse pequeno trecho trouxe até mim varios pensamentos.

=]

Abraço.

Leonard M. Capibaribe disse...

Penso bastante sobre como o amor, algo tão forte pode morrer... Podemos pensar que é amor, mas não é possível ter certeza... Só se sabe quando dura... Só se entende quando sabe e sente... E não acaba...

Anderson disse...

Muito lindo *---* parabéns pelo blog ;)
http://mundoablog.blogspot.com

Karla Hack dos Santos disse...

Perfeita a sua descrição do sentir... numa órbita gótica e na medida do que todos nós um dia - se já não - experimentaremos e compreenderemos.

Belo post!

;D

Natália Nunes disse...

Lindo!
Mas será mesmo que o amor morre? Às vezes acho que ele se esconde e a gente que acaba exigindo demais um do outro..
mas de qualquer maneira.. lindo demais o post ;)

M!sunderstood disse...

Impressionante como você consegue fazer cada letrinha tocar nosso coração, ter sentimento...Sei lá.

Um ótimo texto, sem dúvidas.

Bj, Misunderstood.

Almir Ferreira disse...

Eu já vi muitos textos de poemas, pensamentos, poesias e coisas afins, mas poucos conseguem com tanta sensibilidade produzir uma reflexão sobre temas tão vivas do nosso cotidiano: amor, solidão, respeito, amizade... Excelente texto.

Grande beijo e parabéns

Rama na Vimana
http://ramanavimana.blogspot.com/

Adailton Áquila disse...

Ótimo artigo, você está de parabéns!
A parte "Morreu? Sim, mas quem morreu? Ah, imagino que seja vosso amigo, o amor."
Foi a que mais me xamow atenção, ela fas agente lembrar várias coisas...
rs
Abraço...

< Www.MundoDSE.com >

Karla Hack dos Santos disse...

Já andei comentando por aqui.. vou noutro!

;D

Rodrigo Celi disse...

O amor é ferida que dói e num se sente né

Muito bom seu texto, adorei
visite o meu tbm, bjs

Blog UaiMeu! disse...

Retribuindo sua visita!
Obrigado

Edu N. disse...

Muito lindo o texto, achoi incrível como o amor é tema de tantos textos e mesmo assim você conseguiu criar algo inovador

Karla Hack dos Santos disse...

Já andei comentando neste..vou noutro

Karla Hack dos Santos disse...

Fui até outubro/2010.. e já havia comentando em seus textos... Mas, é sempre bom reler o que tem qualidade, neh?!

;D

Sandro Mangueirense disse...

Nossa, que texto denso e magnificamente bem escrito! Parabéns, muito bom mesmo!

Seguindo seu blog!

http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/

Postar um comentário