RSS

Dayenne

Ambos ali tinham um tanto de consciência da atmosfera pesada, da nuvem de desconforto que pairava entre eles enquanto entravam no restaurante. Era um lugar lindo, elegante e com um grande ar aristocrático, embora não combinasse com o humor deles. Não estavam de braços dados, nem demonstrando qualquer tipo de afeto, o que é estranho ao meu ver, pois eles formavam um casal incrivelmente bonito. Vi-os entrar e sentarem em uma mesa perto da minha, no reservado do salão. Claro, o reservado não deixava a desejar em matéria de encantamento. O homem devia ter no máximo 28 anos, e a mulher também parecia beirar essa idade. Eles não só formavam um bonito casal, como também eram individualmente belos.

Por uma imensidade de minutos que não contei, ficaram absolutamente calados. Liam o cardápio, e pareciam olhar todos os lados, menos um para o outro. Estavam bem vestidos. O silêncio cortou-se apenas quando a mulher fez o pedido. Pude deduzir, pela sua linguagem corporal, que o homem não queria estar ali. A mulher, por sua vez, parecia estar ansiosa. Ainda demorou um pouco para que o jantar deles chegasse. Quando chegou, comeram devagar e silenciosamente. Depois de servidos e satisfeitos, a mulher pronunciou-se:
- Você não vai falar comigo, Joe?
Ele deu de ombros, sem olhar para ela.
- Não vai nem olhar para mim? - perguntou ela.
Ele levantou a cabeça, relutante, mas olhou-a. Seu olhar era carregado de um ressentimento profundo. Vendo que ela apenas o fitava, ergueu uma sombrancelha.
- Você não queria falar? - perguntou, cheio de sarcasmo.
- Você vai querer ouvir? - ela também era boa na retórica.
- Tanto faz. - Ele desviou os olhos.
Ela suspirou, todos os seus movimentos mostravam a sua impaciência.
- Será que você poderia ser um pouco mais receptivo, Joe?
- E qual é o sentido disso? Você já sabe o que eu penso disso.
- Não, eu não sei. Simplesmente porque você não fala. Esqueceu que parou de falar comigo?
- Para quê você me trouxe aqui? Para me fazer lembrar do que você fez? Para me ferir?
- Não. Estou pedindo, ou melhor, tentando lhe pedir perdão.
- Você? Sabe Dayenne, tanto faz.
- Isso é mentira! Não finja que não se importa, isso é ridículo e infantil. Eu sei que errei quando traí você, mas você sabia muito bem da minha história com ele, podia pelo menos ter me escutado quando tentei me desculpar. E devia me ouvir agora também.
Pela primeira vez na noite, pude ver os olhos do homem se encherem de raiva.

- Escute bem, eu não quero falar sobre isso com você. Não quero nem saber.

Sua voz cortou como faca, e as bases das ações da mulher ruíram. Ela não disse palavra depois disso, apenas olhou-o atônita. Logo, pude ver que ela tinha os olhos cheios de lágrimas. Suas mãos tremiam, e tinha a cabeça baixa.
Em um movimento repentino, aquele torpor explodiu, e ela olhou-o novamente, agora sem lágrimas, e quando falou, sua voz carregava a força impossível de que ela precisava para que suas palavras tivessem o efeito que ela queria.

- É assim que você resolve as coisas?
Ele apenas olhou-a, com o rosto indignado e confuso.
- É assim que acaba com seus problemas? Jogando-os de lado e fingindo que eles não existem? Sua ignorância vai tão longe assim?
Ele fingiu ignorá-la, mas era visível que ele estava absorvendo cada palavra dela.
- Seu covarde. - disse ela simplesmente.

Assim que disse isso, a mulher levantou-se da cadeira e foi embora, deixando para trás coisas que podiam valer muito mais para ela do que para mim, ou para o homem. Sentado, eu olhava agora a expressão de Joe. Ele estava derrotado, e por seu rosto lágrimas de sangue deixavam o caminho que ele havia jogado fora. É incrível como o orgulho pode levar ás pessoas a perderem essas grandes oportunidades. Joe? Bem, ele não foi atrás de Dayenne. Ficou ali sentado, remoendo sua dor sozinho, onde só o que o rondava, era a vergonha e a frustração.
Ele a havia perdido, por ser um completo idiota.
Fiquei sentado, tomando cerveja enquanto desejava áquele homem, a luz que a vida e a estupidez haviam lhe tirado. E que tinha nome:
Dayenne.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

17 comentários:

Liz Gimenez. disse...

'' É incrível como o orgulho pode levar ás pessoas a perderem essas grandes oportunidades.'' É realmente incrível. :/ E pior ainda é saber que muitas vezes não tem volta.

M!sunderstood disse...

Isso às vezes parece ter acontecido bem perto de mim...Ou mesmo me veio uma recordação de que eu tenha visto algo parecido com isto...

Muito bom Vanessa, parabéns

# Érikα Teixeirα disse...

Muito bom seu texto :) Voce escreve muito bem, parabeens !

Filha Unica disse...

Vivi algo muito parecido. essas palavras me tocaram :S

parabéns. seguindo você.

Arash Gitzcam disse...

restaurantes certos contribuem para momentos certos...

Haineko disse...

Encontrei seu blog numa comunidade do orkut e resolvi ler o texto todo e ameei! Suas palavras são muito tocantes, continue assim ^^

Nicelle Almeida disse...

Nossa, vc escreve muito bem. Fiquei vidrada no seu texto até o final. Amei os dialogos e a riqueza de detalhes.
É o orgulho nos deixa longe de grandes momentos e oportunidades.
Um beijão!!!!!
www.nicellealmeida.blogspot.com

Miragem disse...

Estou seguindo você ^_^

Piadas com Fritas - humor / engraçado

Filha Unica disse...

já passei por aqui. mas essa historia é muito linda. parabéns;

Andre Mansim disse...

Texto muito bem escrito, vc tem muito futuro, seus personagens parecem reais e as cenas e diálogos também... Sei não se não é real, hahahahaha. Parabens!


http://amansim.blogspot.com/
visita lá!

Guilherme Augusto disse...

Belo texto... mas pode ter certeza que ele arruma uma mulher melhor que só por causa de uma "história" o traiu...

James Rocha disse...

Muito bom, mas acho que é uma "estória" né? Minha irmã faz muito isso...

Ailton Jr. Pereira disse...

Eu faria a mesma coisa que o cara.
Inté...

Karla Hack disse...

Não sei se vc assistia Sex and the City; Mas, a situação que você descreveu achei muito parecida com a da Carrie - Aidan - Mr. Big.

As vezes o orgulho atrapalha o que poderia ser bom.

;D

Peter B. Parker disse...

o familiar é que faz o texto ser mais forte. é curioso pensar que esse tipo de coisa acontece o tempo todo.

http://aideti.wordpress.com/

Kiko Lemos disse...

Situação muito humana, torna seu texto agradável em ser lido.

Adorei

Agnes disse...

Tem um selo pra vc lá no meu blog!

Postar um comentário