RSS

Uma Carta - Rumo ao desencanto


Para Larry Keathewick, de sua querida amiga:

"E se de repente você descobre que a sua maior verdade foi uma mentira?

Eram oito da noite quando eu olhava a tela do computador embaçada por causa das lágrimas. Tentei encontrar as razões que me fizeram entrar no seu álbum de fotos e achar aquela que fez meu mundo terminar. Eu tentava entender agora o porquê, já que as nossas fotos ainda estavam ali. Eu tentava chorar em silêncio mas não conseguia, o pranto era alto e grande como a minha decepção.

Era mesmo difícil de entender. Tantas coisas evindenciaram o quão era tudo verdadeiro, e ao mesmo tempo o mundo mostrava que não era. No que eu podia acreditar? Se meu amor era forte demais e mantia meus olhos cegos... o que eu podia fazer? Mas estes mesmos olhos acabaram se abrindo depois disso. Eu sabia, eu havia sido avisada que seria assim. Mas eu não conseguia odiá-lo, não conseguia desprezá-lo por ter-me mentido tanto tempo. Não conseguia vê-lo como alguém infiel e traiçoeiro. O que eu mais sentia era raiva de mim mesma, e isto pode parecer estranho. Raiva de mim mesma, por não conseguir, por não ser capaz de monopolizar-lhe o amor. Como se a culpada por sua traição fosse ninguém menos do que eu.

Minha psicóloga, que era minha salvação, me dissera que eu tenho uma estranha mania de me auto-criticar. Talvez ela tenha razão. Não consigo acreditar que tudo não passou de ilusão. E se foi mesmo? O que vai acontecer com tudo de lindo e maravilhoso que eu já senti por ele? Está fora de cogitação esquecer. Seria esta mais uma maneira de auto-flagelo? Manter a dor constante para fazer-se lembrar da felicidade passada? E que sentido tinha viver disto? Podia sentir o antigo spleen renascendo. Viver do passado e fazer dele o seu presente.


Palavras giravam insistentemente na minha cabeça naquela noite, contra a minha vontade. fraca, incapaz, cega. eE também aquelas frases desconcertantes como "ele deixou você, ele trocou você." Mas nada disso faz muito sentido.
Não é justo.
Como vive um ser humano que, cada vez que se apaixona leva uma punhalada pelas costas?
Eu queria poder controlar esse meu coração... obrigá-lo a nunca mais se apaixonar, ou destruí-lo. Por que é tão difícil aceitar essa separação? Talvez porque só agora eu encarei deste jeito... agora que aquela esperança de "um dia" está fraca.
Este é o problema, está fraca.
Mas não está morta.

Obrigada querido amigo... por ler estas palavras, não consegui pensar em mais ninguém para confiar tal desabafo.
Mande notícias. Um beijo,

Erica Sander's."

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

18 comentários:

Aloisio BuenO disse...

droga que saco...quando alguem nos abandona devia ser automatico a gente sqcer
mas num e assim q fununcia...coracao bandido

Arathane disse...

Lindona, a culpa não é sua né ... dor é inevitável, sofrimento opcional... acho que as vezes a gente procura o sofrimento ... não é fácil se desligar de alguém porém, não é impossível ... eu já amei tantos caras na vida que pensei que fossem únicos e acabaram e eu sobrevivi a tudo ilesa e com uma pitada de maturidade ... era apenas pra comentar de acordo com o orkut, porém quero te seguir també, irei ficar muito feliz se me seguisse também e me visitasse ... se quiser fazer parcerias de links eu tb tô dentro oks flor ?

http://arathane.blogspot.com/

beijos

Melhor Free disse...

O coração é foda!
a gente quer esquer aquele alguém más ele não deixa! o jeito é sofrer até isso passar... isso se passar né!!

Erzsébet disse...

Muito bonito o texto; eu particularmente tenho uma forma de ver os relacionamentos e seus fins diferente da sua; pode ser uma vantagem ou desvantagem minha; talvez vc viva mais que eu. Bom texto, escreves bem...^^

Flaemmchen

Fabiano disse...

acho que algumas pessoas tem mais dificuldades quando o assunto é o coração. eu sou um cara que vira a pagina rapidamente. se a pessoa não me dá valor parto pra outra mesmo. sou da opinião que quem saiu perdendo foi ela. mas cada um age de uma forma.
otimo texto.
abraços.
fabiano

http://blog-do-faibis.blogspot.com/

Thiérri disse...

O sofrimento faz parte nesse momento de transição... é ele que faz a experiência parecer melhor do que realmente foi e faz com que aproveitemos mais a próxima etapa!
A dica é: Bola pra frente! Um dia a gente se acerta e não sofre mais! ;)

Thamyzinha Iwasaki disse...

Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.
Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia [...]

M!sunderstood disse...

Olá, muito bom o post

vim avisar que tem selinho pra ti lá no meu blog



http://reflexo-da-alma.blogspot.com

bjinhos

Loverocklive disse...

As vezes vemos coisas que nem sempre gostariamos de ver.

Karla Hack disse...

Como um desabafo faz bem..
Ainda que em carta!
Há vezes que nós não encontramos sentido em nada, e tudo destoa, tudo soa errado..
Qual caminho seguir?
Ainda estou tentando encontrar o meu.

;D

Bruno disse...

Desabafar é saudavel.
Cabeça erguida e bola pra frente!

http://nervozero.blogspot.com/

César disse...

A vida continua...chorar não vai adiantar em nada...seguir teu caminho que ele seguir o dele.

Dear Letícia disse...

Temos que seguir e tentar nos erguer, parece difícil mas eu tenho certeza que depois de amenizado o coração dá uma força pra continuar.

Belo texto, muito lindo mesmo. No começo senti preguiça de ler mas depois eu quis é ler de novo haha

Marcos Lucas disse...

Simplesmente lindo o texto. Ser trocado deve ser uma dor infinitamente grande.

Marina Cardoso disse...

Lindo texto!

Mas, o nosso erro é IDOLATRAR alguem que não merece um misero esforço de nós.
O materialismo de dizer o que é "seu" por direito arrasa qualquer um quando essa sentença é quebrada.

Alan Costa disse...

belo texto mesmo, é muito importante nos desabafarmos.
http://alancostam.blogspot.com/

Arash Gitzcam disse...

Pelo meons ela tem um amigo pra amar depois de tudo...

Karla Hack disse...

Complicado demais quando coisa do gênero acontece! O coração é capaz de pregar peças absurdas em nós...
A solução é continuar.
;P

Postar um comentário